c h r i s

.

por que a gente não tem casa

mas tem nome

.

photo: julia chesky

.

.

.

.

.

lembro que ele era alto

bonito

olhos azuis intensos

barba um pouco grande

o cabelo também

pele queimada de sol

havia acabado de tomar banho

– você que mexeu no sofá? eu durmo aqui

.

– foi

a caixa de papelão

sobre o sofá

era de um leite chamado “sonhos”

roberto o nome dele

sentou no chão

onde estava antes o sofá

(todo mofado e úmido)

e ficou lendo

um folheto antigo de anúncios

.

não conseguia pintar

desconcertou

fiquei intrigada

queria saber mais

como tomava banho

o que comia

onde cagava

e no frio?

e na chuva?

tinha familia?

qual sua idade?

fazia tempo que estava assim?

.

raro

manter alguma sanidade

nessa condição

quase como um diamante negro

.

– porque você tá na rua?

.

sorriu

tragou o cigarro

virou pra mim

olhando

no fundo do olho

disse:

.

– seu dente é todo torto!

isso é tão sexy

.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s